segunda-feira, março 17, 2008

Triste ideia

Esta triste ideia de proibir os piercings e de exterminar preventivamente raças de cães dá bem conta do estado a que isto chegou. O estado do Estado, claro está. Mas também, e sobretudo, o estado de quem nele vive e tudo parece aceitar com passividade. Uma ou outra indignação no café, um ou outro esgar ao ver o telejornal e já está, já passou, não doeu nada, o Estado avança.

O triste destas medidas é que assentam no pressuposto de que o individuo é um atrasado mental que é incapaz de decidir por si próprio e que, já se vê, carece do sempre mui leal e diligente Estado para lhe indicar o caminho e o proteger de si próprio.

Que haja quem aceite tal condição, numa confrangedora maioria, é o mais triste dos nossos problemas. Mas o mais profundo dos nossos problemas é que essa maioria seja suficiente para aniquilar as liberdades de quem não aceita ver-se sujeito ao Estado.

2 comentários:

  1. Estas duas patéticas ideias não passam de manobras de diversão.

    ResponderEliminar
  2. Claro que "o indivíduo" (adoro esta generalização)sabe muito bem: veja-se a quantidade de grávidas adolescentes, de pessoal infectado, de excesso de álcool na estrada, de "bocas" nos blogs.

    ResponderEliminar