terça-feira, maio 06, 2008

PSD (13)

A campanha de Manuela Ferreira Leite avança de acordo com uma realidade virtual, na qual apenas Santana Lopes ocupa espaço e Passos Coelho inexiste. Todo o discurso da credibilidade e mais não sei o quê faz sentido face a Santana ou Menezes mas esbarra na solidez programática de Passos Coelho. É por isso que ficamos todos com a ideia que a senhora não diz nada. E não diz mesmo, porque se recusa, de facto, a apontar caminhos. Bem sabemos que ela é do tempo em que o passaporte cavaquista substituia o discurso. Mas os tempos são outros. E a credibilidade não está só no passaporte.

3 comentários:

  1. Infelizmente para se chegar a primeiro-ministro (para que os "caminhos" passem a fazer sentido) é preciso chegar-se a líder de partido, e é preciso também que o partido não se mobilize para "fazer a cama" ao líder. Suspeito que Passos Coelho não conseguiria apaziguar os abutres do PSD, e que isso transformaria a sua "solidez programática" em algo de ineficaz. Passos Coelho tem a desvantagem de ter passado muito tempo escondido, e por isso é que muitos interpretam esta aparição com o preparar terreno para o pós-2009. Se ele ganhar espero que eu esteja enganado.

    ResponderEliminar
  2. Isso depende um pouco da fibra do líder, Lourenço. Sá Carneiro foi eventualmente o mais contestado líder que alguma vez o partido teve.

    E constitui igualmente uma cedência, compreensível mas eventualmente evitável, ao facilitismo. No fundo, é quase uma contradição: Manuel Ferreira Leite é a melhor candidata para salvar o partido da desordem em que as bases o meteram precisamente porque... é a que maior consenso tem entre as bases.

    ResponderEliminar
  3. Se tem o maior consenso com dizes, nem precisamos de eleições.. está ganho! As bases somos todos e eu não apoio a Velha!

    ResponderEliminar