domingo, maio 11, 2008

PSD (15)

"PSD: Passos Coelho defende redução de impostos" (Portugal Diário):
O candidato a líder do PSD Pedro Passos Coelho defendeu esta sexta-feira, em Coimbra, a redução da carga fiscal para os níveis de 2002 no «prazo de quatro anos», acompanhada por uma diminuição da despesa do Estado, noticia a Lusa.


São justas muitas das objecções da blogosfera liberal à candidatura de Passos Coelho. Contudo, entendo que na nossa cultura política, o óptimo é inimigo do melhor. Em Portugal não há espaço para políticos como Ron Paul, que incorporam uma esmagadora maioria de princípios liberais-clássicos.

Vejo com bons olhos que haja quem se atreva a defender a redução da opressão fiscal, e a redução dos gasto dos Estado. Mesmo que não renegue fundamentos do "Estado Social". É um princípio - perdão, um começo - saudável. É importante que ideias liberais sejam discutidas abertamente, que sejam libertadas da espiral do silêncio a que são votadas pelo status quo enamorado pelo estatismo.

Há duas contrapartidas preocupantes. Primeiro, que os proponentes destas ideias desanimem, porque não produzem recompensas eleitorais imediatas. Segundo, que chegando ao poder, ou antes mesmo, abastardem essas ideias com estatismo primário (exemplos Thatcher, Reagan, até Durão Barroso).

Sem comentários:

Enviar um comentário