sábado, outubro 20, 2012

Protegidos

Protegidos por Hélder Ferreira:
.. O proteccionismo é uma parceria não escrita entre grandes empresas, sindicatos e o Estado. Este ganha sob a forma de maiores receitas que por sua vez vai usar para subsidiar e financiar as mesmas empresas beneficiárias da menor concorrência.

Quem perde? Nós, consumidores que somos todos, e os mais pobres dos pobres no Mundo menos desenvolvido. Um exemplo simples é a Politica Agrícola Comum (PAC) europeia que mais que um erro devia ser considerada crime. Por volta de 2002 e enquanto mil milhões de pessoas no Mundo viviam com menos de 1USD por dia, cada vaca europeia recebia de subsídios da PAC, 2,5 euros por dia. Mais, os maiores os beneficiários desses subsídios eram (e continuarão a ser) gente e empresas como a Rainha de Inglaterra e a multinacional Arla Foods. Os subsídios e tarifas à importação de açúcar, por exemplo, são de tal ordem que permitem às empresas europeias (e americanas) exportá-lo para sítios onde a produção sem subsídios é muito mais eficiente e barata, condenando parte da população desses locais à maior miséria, ao mesmo tempo que nos obrigam a pagar mais caro e a diminuir o nosso rendimento disponível. Além do mais, e ao contrário do pressuposto proteccionista, uma pessoa no Quénia não tem menos valor enquanto pessoa que um francês ou português e nesse sentido não é nem legítimo, nem moralmente aceitável que, sob a capa da protecção das pessoas e dos empregos no Ocidente, se condenem pessoas a uma vida de indigência só porque vivem noutro sítio ou têm uma cor diferente.

Sem comentários:

Enviar um comentário