sexta-feira, novembro 30, 2012

Estado Social vs progresso

O que é que o Estado Social verdadeiramente fez por si? por Carlos Guimarães Pinto:
.. É um erro comum e conveniente de atribuir ao Estado Social os créditos do progresso económico.

Obviamente, a verdadeira razão pela qual Portugal não tinha em 1974 os níveis de literacia e a abrangência de cuidados de saúde actuais é o mesmo motivo para o Mali e a Coreia do Norte não o conseguirem fazer hoje: não tinha economia para tal ..

A melhor forma de aferir o verdadeiro impacto do Estado Social é ver como Portugal evoluiu em relação ao resto do Mundo. Portugal é hoje o 41º no ranking do IDH. Em 1976 era 27º .. Portugal melhorou os seus indicadores, em linha com o resto do Mundo relembro, de uma forma insustentável, enquanto que os países indicados o fizeram de forma economicamente sustentável. Portugal seguiu um modelo insustentável de descapitalização da economia, asfixiando-a fiscalmente para sustentar o Estado Social, que nos colocou na situação actual. É provável que, para recuperar, passe muitos anos a desenvolver-se menos do que o resto do Mundo.

Em suma, não só o Estado Social não contribuiu para uma melhoria relativa das condições de vida, como fez com que as melhorias que aconteceram em linha com o resto do Mundo não fossem sustentáveis. Daqui a uns anos, quando, e se, acabarmos de pagar pelo modelo insustentável criado, estaremos bem pior em termos relativos do que em 1976. Aí sim, o verdadeiro impacto do “Estado Social” na economia se fará sentir.

Sem comentários:

Enviar um comentário