sexta-feira, novembro 23, 2012

Pela “desdorificação” do Tó-Zé Seguro

Pela “desdorificação” do Tó-Zé Seguro
Alguém cure a amnésia de Seguro, se faz favor, de João Miguel Tavares.

É oficial: António José Seguro é a Dori portuguesa. A Dori, para quem não se recorda, era o peixinho azul do filme de animação ‘À Procura de Nemo’. E, deixem-me dizer-vos, era um belo peixe: coração enorme, intenções rectas, grande voluntarismo. Só que tinha este inconcebível defeito: esquecia-se de tudo o que dizia cinco segundos depois de o ter dito. Ora, a forma como o PS insiste em fingir-se de amnésico de cada vez que o PSD pede o seu apoio para reestruturar o Estado é sinal da dorificação acelerada do partido. (…)

Seguindo o raciocínio dorificado de Seguro, o PS, que esteve no Governo durante mais de uma década, não só destruiu o país como não se recorda de o ter feito. Será que Sócrates levou todos os arquivos na fuga para Paris? Será que os milhares de boys que durante anos e anos chucharam na teta do Estado se esqueceram da vaca que lhes dava o leite? Seguro penteia a melena, põe os óculos de aros finos, e subitamente finge que o PS de 2012 nada tem a ver com o PS de 2011. Alguém o desdorifique, por amor de Deus. E lhe diga: “Tó Zé, tu foste eleito nas listas do Sócrates, pá.”

Sem comentários:

Enviar um comentário