sexta-feira, novembro 16, 2012

Um país doente

Um país doente por Bruno Alves:
.. O endividamento estatal não nos trouxe só auto-estradas, estádios de futebol vazios e aeroportos sem voos. Trouxe abundantes empregos na função pública, e fez com que se pudesse "oferecer" serviços "tendencialmente gratuitos" aos portugueses, permitindo-lhes utilizar uma parte do rendimento - que de outra forma não estaria disponível - para a aquisição de bens que alimentaram a fantasia de que Portugal era um "país como os outros". Agora que falta dinheiro ao Estado, deixou de ser possível esconder que ele falta também a grande parte das pessoas. A política governamental é criticável, e poderia ser diferente. Mas, tivessem as opções concretas sido outras, uma perda significativa dos rendimentos e qualidade de vida dos portugueses não teria sido evitada, pela simples razão de que estes não eram sustentáveis.

No fundo, chegou a hora de acordar para a realidade. Com ela, serão notórias as dificuldades. O descontentamento manifestado na greve e nos protestos de dia 14 não é uma cura para a doença do país. É um sintoma.

Sem comentários:

Enviar um comentário