domingo, dezembro 16, 2012

15 minutos de infâmia

Os 15 minutos de fama dos académicos:
Qualquer aluno de uma cadeira de finanças seria reprovado se não excuisse a dívida ao calcular o valor de uma empresa para o accionista recorrendo a este método.
Foi exactamente este erro que Ricardo Cabral cometeu .. Eu acredito genuinamente que Ricardo Cabral entretanto apercebeu-se do grande erro que cometeu (que lhe é apontado nos comentários). Porque não o admitiu até agora? Porque entretanto o erro mediatizou-se, foi copiado por jornalistas e colunistas, e o seu nome tem sido citado um pouco por todo o lado quando se discute o caso. A conclusão oriunda desse erro de análise era exactamente o que os jornalistas queriam ouvir. E é assim que temos um professor universitário a vender a sua honestidade intelectual por 15 minutos de fama.
Há alguns meses houve um .. estudo sobre o impacto da medida da TSU no emprego e chegou à conclusão que todos queriam ouvir: a medida causaria mais desemprego .. O estudo foi citado em vários jornais e, salvo erro, os seus autores, até deram entrevistas na televisão. Aqui o erro foi mais subtil .. o resultado não foi comparado com o impacto de qualquer das medidas alternativas (como vieram a ser a taxa adicional de IRS e a mudança de escalões). Em medicina, seria o correspondente a dizer a um doente com cancro que a quimioterapia lhe causaria queda de cabelo, sem apontar as consequências de outros tratamentos ou da ausência deles.
.. Só consigo encontrar um factor causador destes erros: a atracção dos académicos pela exposição mediática, complementada pelo interesse dos mídia em utilizar os académicos para justificar os preconceitos do público. Os académicos da área da economia e finanças estão, nesta altura, no auge da sua exposição mediática, e isso, ao contrário do que se poderia pensar, não é bom para a Ciência Económica.

Sem comentários:

Enviar um comentário