segunda-feira, dezembro 03, 2012

Crescimento versus austeridade

Via O Insurgente, Crescimento versus austeridade por Daniel Bessa:
“Não conheço uma única pessoa que não prefira o crescimento à austeridade…Nem mais tempo nem mais dinheiro são suficientes, por si só, para assegurar crescimento económico. Portugal beneficiou de todo o tempo e de todo o dinheiro para poder crescer, pelo menos a partir de 1985. Depois de um período inicial em que tudo pareceu correr bem, a partir da viragem do milénio a economia portuguesa praticamente não cresceu….

…Podemos hoje reivindicar mais tempo e mais dinheiro. E eu posso acompanhar essa reivindicação, mas tenho de saber porquê. Porque, se mais tempo e mais dinheiro servirem apenas para aliviar a austeridade, como pretendem alguns (menos impostos, mais despesa, manter défices públicos mais elevados) a essa proposta eu direi não. Se o objectivo é esse, poderíamos até melhorar a vida dos portugueses durante mais algum tempo, mas estaríamos a fazer tudo menos a promover o crescimento económico – estaríamos apenas a cavar mais fundo o poço da dívida. Na aparência, estaríamos melhor; na essência, ficaríamos pior. Dessa terapia já tivemos o suficiente. Seria completamente irresponsável.

Querem mais tempo e mais dinheiro? Muito bem. Prossigam a via da austeridade. E digam como é que vão usar o tempo e em que é que pretendem gastar o dinheiro”.

Sem comentários:

Enviar um comentário