sexta-feira, dezembro 14, 2012

E que tal um pouco menos de Europa?

Excertos de E que tal um pouco menos de Europa? por Adolfo Mesquita Nunes:
A crise que atravessamos pôs a nu as deficiências do nosso modelo económico. Tenho insistido na classificação desse modelo como socialista, mas deixemos de lado as classificações e procuremos um consenso: o nosso modelo económico, socialista ou neoliberal, profundamente estatista ou fervorosamente capitalista, mostrou-se inimigo do crescimento.
Existe, e de forma tristemente transversal, uma enorme resistência a tratar esta crise por aquilo que ela é: uma crise de modelo económico. Só isso explica que, em vez dessa urgente reflexão, a crise se tenha tornado um pretexto para o reforço da integração política e da intensificação dos poderes de Bruxelas.
A Europa está a perder demasiado tempo a tentar perceber como pode agigantar-se politicamente sem perceber que é esse gigantismo, já real, que está na génese da crise que vivemos.

É uma ilusão pensar que a centralização (política, económica, financeira, fiscal e bancária) em Bruxelas resolverá os nossos problemas, e é por isso que urge introduzir uma nova questão no debate europeu: a nossa economia não terá Europa a mais?

Sem comentários:

Enviar um comentário