quinta-feira, dezembro 20, 2012

Eine Steuer

Ein Volk, ein Reich, eine Steuer:
.. quem acha que o problema de Depardieu não são os altos impostos franceses mas o facto de na Bélgica serem mais baixos não vai parar obrigando a Bélgica a aumentar os seus impostos. Não vai parar porque não pode. E não pode porque a urticária e comichão que sofre quando vê um rico a fugir com o seu dinheiro para a Bélgica vai ser tão grande ou maior quando vir um rico a fugir com o seu dinheiro para a Suíça (os malandros também falam francês ainda por cima) ou para o Liechtenstein. Isto não tem nada que ver com o espaço comunitário, quem gosta de roubar não respeita fronteiras.

Aliás o que estes ditadorzecos de trazer por casa não gostam mesmo nada é do dinheiro dos outros. E depois escudam-se em palavras muito bonitas, como “democracia” para legitimar o roubo. Porque para esta gente a democracia está lá é para isso mesmo, para que uma multidão enraivecida possa violar as liberdades de qualquer minoria, particularmente quando falamos de uma minority of one – essas bestas conhecidas como indivíduos. Deve ser por isso que a esquerda passa a vida a defender políticas que trazem apenas pobreza, parece que se vivermos todos bem é mais difícil manipular as massas para, de forma democrática claro, espoliar quem o ditadorzeco quiser. Que mais, pergunto eu, pode um indivíduo fazer nestas condições senão fugir para além fronteiras?

Ein Volk, ein Reich, eine Steuer. É esta a visão de certa gente para a Europa. E quando o dinheiro dos outros decidir sair da Europa a receita destes iluminados vai ser a mesma de outros como eles ao longo do tempo: ou fazem um muro para que não possam sair, ou espancam-nos e expropriam antes que eles se lembrem de ir embora.

Sem comentários:

Enviar um comentário