sexta-feira, dezembro 14, 2012

Liberalismo no poder

Liberalismo no poder: possibilidade ou utopia? por Bruno Garschagen:
O liberalismo não nasceu para ser uma ideologia ou uma filosofia de governo e de estado, mas para ser tanto uma filosofia sobre o governo e sobre o estado quanto uma filosofia das relações entre os indivíduos dentro da sociedade e dos indivíduos com as diversas esferas de poder ..
É fato que os defensores de ideologias ancoradas na democracia estão muito confortáveis em sua defesa de um sistema político que vem sendo testado ao longo do tempo e que goza de um prestígio fabuloso porque a sua aparência de igualdade, de liberdade, de justiça e de promotor da circulação de elites políticas, em contraposição aos outros sistemas já testados e fracassados, lhes garante uma vantagem em discussões teóricas e empíricas. Ao mesmo tempo, coloca seus críticos numa posição delicada, pois qualquer crítica à democracia é convertida, invariavelmente, numa acusação de defesa de um sistema antidemocrático ou pior, de um sistema autoritário ou totalitário. Que isso ocorra em discussões nas redes sociais entre pessoas com pouco apreço pelo conhecimento e pelo rigor não surpreende; mas que aconteça em debates acadêmicos ou entre intelectuais públicos, é lamentável.
O problema que se impõe quando falamos da relação entre liberalismo e poder político é, no fundo, a análise de sua compatibilidade e incompatibilidade tanto no âmbito da teoria quanto no da prática. Nos dois exemplos políticos mais emblemáticos do século XX, tanto Ronald Reagan nos Estados Unidos quanto Margaret Thatcher no Reino Unido, dois conhecidos defensores dos princípios da liberdade, foram incapazes de domar o Minotauro. Em seus governos, o estado continuou a crescer. Não está em discussão se se prefere ou não políticos liberais (ou que defendam os princípios da liberdade) no poder, mas se, uma vez lá, conseguem, pelo menos, que as instituições políticas respeitem os princípios fundamentais do liberalismo.
Não pretendo apresentar respostas fechadas, mas provocar um início de discussão sobre um tema que vem ocupando uma parte dos meus estudos e reflexões, considerando que a análise esboçada acima acerca da compatibilidade ou incompatibilidade do liberalismo com o poder permite ter uma ideia mais clara sobre a possibilidade ou impossibilidade de um governo liberal, ou se devemos considerar esta como mais uma ideia utópica e, como tal, ser tratada.

Sem comentários:

Enviar um comentário