quarta-feira, dezembro 19, 2012

Tiro ao Álvaro

Carta aberta ao Àlvaro por Helder Ferreira:
Como te lia com interesse antes de ires para o Governo e creio que ainda sabes que aquilo que escrevias mantém-se verdadeiro e dada a tua experiência como professor, queria pedir-te um favor: quando te cruzares nos corredores dos Ministérios com os tipos que se lembraram dos Decretos Lei 197/2012 e 198/2012, nomeadamente os Artigos 3º e 5º deste, os metesses numa sala, de frente para a parede com umas orelhas de burro. Se lhes deres com uma palmatória nas mãozinhas também agradeço. Porque são ignorantes. Ignorantes e incompetentes. Aposto singelo contra dobrado que nunca tiveram qualquer responsabilidade numa empresa, não fazem ideia nenhuma de logística, de facturas, de recebimentos, de tesourarias, de IVA. No fundo, não percebem de merda nenhuma. Não fazem a mínima ideia dos processos de gestão nas empresas, de como se organizam, do que as pessoas fazem.
Repara numa piquena amostra: de acordo com os kafkianos Decreto Lei referidos, cada vez que emito uma factura (fazes ideia de quantas facturas são emitidas por dia por 370.000 empresas?) tenho que pedir um número à Administração Tributária via telefone (!) ou online ao que se segue o risco de ser multado, coimado e o diabo a quatro. As Notas de Crédito e Débito transformam-se num pesadelo digno do inferno de Dante. E nota: nós lá na empresa temos mais que fazer. Temos que negociar, comprar, vender, distribuir, pagar, receber, arrumar, etc. Carradas de coisas para fazer que no fim nos irão permitir pagar os impostos, as taxas e taxinhas que para o teu Governo são o alfa e o ómega da actividade empresarial. Tudo isto vem somar ao labirinto kafkiano que os vossos antecessores foram criando ao longo do tempo (e verdade seja dita, labirinto a que vocês já acrescentaram mais alguns percursos).
Título daqui

Sem comentários:

Enviar um comentário