sexta-feira, dezembro 28, 2012

Um país de Baptistas da Silva

Excerto de Um país de Baptistas da Silva de Adolfo Mesquita Nunes no iOnline:
Não estou a dizer que tem de haver apoio unânime ao rumo deste governo. É natural e desejável que, em democracia, surjam alternativas. O que estou a dizer é, e nisto estou particularmente seguro, que a crise que atravessamos não se resolve com a facilidade apregoada pelos vendedores da banha da cobra.

É tentador pensar que a crise poderia ser resolvida de uma vez, sem dor, com bravura e coragem. E é tentador pensar que essa solução não é aplicada apenas porque uma conspiração de interesses lucra com a crise. É o mundo a preto e branco: os bons e os maus.

Mas o mundo não é uma história de quadradinhos. Não existe uma receita simples e directa capaz de acabar de vez com a crise e que é posta de lado por políticos mal-intencionados apostados na desgraça dos povos.

Quem pretender, seja ele o senhor Baptista da Silva, seja ele um comentador encartado, que tudo isto se resolveria fácil e rapidamente assim quisessem os políticos está a mentir. E descaradamente.

Sem comentários:

Enviar um comentário