quarta-feira, janeiro 16, 2013

A adjectivação

A adjectivação por Ricardo Arroja:
O debate que se tem ouvido nos últimos dias é mais discussão e gritaria do que outra coisa qualquer. É um debate irracional, feito de adjectivação, que impossibilita a racionalidade e a neutralidade de espírito características de um verdadeiro debate. Entre tanto ruído, perdeu-se a objectividade. Por exemplo, é ou não verdade que o número de alunos por professor no ensino básico e secundário - um conceito que é diferente do de número de alunos por turma - é mais baixo em Portugal do que no resto da Europa? É ou não verdade que o consumo "per capita" de medicamentos ajustado pelo custo de vida em Portugal chega a ser superior ao consumo existente nos mais avançados países nórdicos? É ou não verdade que a ADSE custa umas generosas centenas de milhões de euros por ano a todos os contribuintes nacionais quando apenas alguns desses contribuintes dela beneficiam? É ou não verdade que as contribuições e quotizações dos contribuintes activos da Caixa Geral de Aposentações representam uma percentagem muito inferior das prestações pagas aos seus pensionistas quando comparadas com o regime geral da Segurança Social? É ou não verdade? Sim, é tudo verdade, e boa parte disso está no relatório do FMI. São factos, e contra factos, costuma-se dizer, (em geral) não há argumentos. Restam os adjectivos.

Sem comentários:

Enviar um comentário