quarta-feira, janeiro 16, 2013

a aristocracia do Estado contra uma sociedade livre

Que Estado queremos?:
Há um enorme burburinho à volta das propostas do FMI para o corte na despesa pública. No entanto, através de uma leitura atenta do documento em causa, deparamo-nos com o óbvio: para reduzir a despesa, o Estado tem de despedir funcionários públicos. O seu número actual não é compatível com o exercício das funções normais de um Estado de direito, pois os encargos que a sua manutenção impõe sobre os cidadãos são desmesurados e incomportáveis numa sociedade livre.
Os representantes dos grupos de interesses que aprisionaram o Estado vão espernear e gritar, dizendo defender a nossa liberdade. Mas sendo esta individual e não colectiva, cabe-nos a nós pensar, acima de tudo, que Estado queremos. Quais as suas funções e o seu papel? A liberdade implica mais escolha individual que a sua defesa por grupos que alegam o direito de optar por o que fazer com o fruto do nosso trabalho. É mais que a ideologia de alguns espalmada numa constituição desfasada da vida e das dificuldades que atravessamos.

Sem comentários:

Enviar um comentário