quarta-feira, janeiro 09, 2013

A nacionalização da vida

A nacionalização da vida por Carlos Guimarães Pinto:
Os sistemas de saúde públicos estão condenados a ser uma de duas coisas: um sorvedouro infinitos de recursos com algum sucesso em prolongar os anos de vida, mas à custa de os tornar miseráveis (como é o caso de Cuba); ou então tornarem-se prisões de saúde em que o estado aspira a controlar todos os comportamento individuais que possam implicar custos de saúde, e onde a decisão de quem vive ou morre fica nas mãos de um grupo de burocratas. Quem defende um serviço nacional de saúde público, mas não está disposto a colocar nele todo o seu dinheiro, terá que se habituar a viver com esta realidade.

A nacionalização da saúde, implicará, mais tarde ou mais cedo, a nacionalização de opções individuais que a afectem, ou seja, a nacionalização da vida.

Sem comentários:

Enviar um comentário