quarta-feira, janeiro 09, 2013

Desigualdade constitucional

Desigualdade constitucional por André Abrantes Amaral:
Esta iniciativa leva-nos a questionar onde estavam Cavaco Silva e o PS quando orçamentos sucessivamente deficitários nos conduziram à triste situação em que o Estado agora se encontra. É que a resposta a esta pergunta mostra a gravidade do problema: os governos gastam mais do que podem cobrar por estarem convencidos de que a economia depende do Estado. Que o Estado tem de gastar para que a economia cresça. Infelizmente, é assim que se pensa em Belém e nas diversas sedes partidárias.

Pagamos hoje o preço deste dogma. Dogma que explica por que motivo a Constituição facilita que o Estado gaste mais do que recebe, mas já dificulta o equilíbrio das contas públicas. A contradição é de tal forma perturbante que não faz mal gerirem-se dinheiros públicos sem cuidado, mas já fere o critério de igualdade restringirmos o acessório para que os mais novos possam viver sem uma dívida que não contraíram e resultante de dinheiro que não vão receber. A igualdade do presente parece não ser igual à que deixamos aos nossos filhos. A justiça social(ista) dá nisto. Depois não se queixem.

Sem comentários:

Enviar um comentário