terça-feira, janeiro 22, 2013

Refundar a educação

Refundar a educação: o financiamento:
Como fazê-lo? A resposta é simples: crie-se uma fórmula de financiamento igual para todas as escolas públicas (do Estado e com contrato de associação). E, para garantir um financiamento justo, use-se como factor principal o número de alunos matriculados em cada escola, introduzindo outros factores para ponderação (o número de alunos com necessidades especiais ou as diferenças regionais nos custos, por exemplo).
.. esta reforma aprofundaria a autonomia das escolas quanto à sua gestão financeira. Assim, para além de gerir todo o seu financiamento sem interferência da tutela, as escolas poderiam obter, através de parcerias, fontes de financiamento privado. Estas possibilitariam diversificar a sua oferta educativa e, ao mesmo tempo, diminuir a sua dependência no financiamento público.

O modelo e as suas vantagens são claros. A sua implementação permitiria mais eficiência, mais poupança, mais autonomia e maior independência das escolas face ao Estado. Há reformas que, poupando muito, pouco ou nada mudam. E depois há reformas que, mesmo poupando menos, fazem a diferença e ajudam a construir o futuro. São estas últimas que se espera de uma refundação do Estado.

Sem comentários:

Enviar um comentário