sábado, fevereiro 16, 2013

A parasitagem "cultural" organizada

A parasitagem "cultural" organizada não descansará enquanto não obtiver do Estado, e dos socialistas no Governo, uma gorda e preguiçosa renda, que tenderá a ser vitalícia, paga (sobretudo) por quem não quer ter nada que ver com eles.

Independentemente da legalidade da coisa (ou seja, do que está ou estará na legislação), isto é flagrantemente imoral.

E dizem que é em nome da "cultura"? Desde quando é que um punhado de "criadores", bem aburguesados, que _são_ o status quo, e pelos vistos bem alcovitados com o poder político... desde quando é que esta gentinha representa a "cultura"? Desde quando é que "a cultura" é definida à excepção dos produtores que são comercialmente bem sucedidos sem sanguessuguices, e sobretudo à excepção dos públicos consumidores? Desde quando é que as tecnologias do futuro têm de ser castradas para perpetuar o artesanato pedante do passado?

E o que tem de "culto", de sofisticado, de "preservação da identidade cultural de um povo", e esse bullshit todo, esta barbárica e mafiosa extorsão?

>Autores voltam a ameaçar levar Estado a tribunal devido à cópia privada

Sem comentários:

Enviar um comentário