quinta-feira, fevereiro 21, 2013

Relvas e a "crítica" símia

Aparentemente é a extrema-esquerda pulha e arruaceira que define quem é que merece ter lugar na "democracia" -- da qual parece ser dona. Relvas uma e outra vez, Macedo há dias, Passos Coelho por breves instantes e quem sabe persistentemente no futuro... e os "idiotas úteis" de serviço aplaudem. (atenção, neste grupo há alguns muito espertos, a expressão atribui-se a quem está bem no bolso da esquerda totalitária)... E muito provavelmente lá estarão a 2 de Março, como estiveram no 15 de Setembro "espontâneo", e no 29 de Setembro da CGTP... como "por coerência" estarão em tantas outras marteladas "apartidárias" no caixão de uma sociedade civilizada. É que não há crítica sem civilização. Só guinchos modernaços, valentões, e liberticidas.

Sem comentários:

Enviar um comentário