quinta-feira, fevereiro 14, 2013

Silly Stoopid Socialists

Hoje em dia o adjectivo "estúpido" está um pouco gasto. Por exemplo, muita gente chamou "estúpido" ao Ulrich, quando o senhor pouco inteligente obviamente não é. Quanto muito, desbocado, ou pouco dotado de "inteligência emocional". Mas, no domínio da "inteligência emocional", que dizer dos burgueses que ficaram ofendidíssimos, com imensa vergonha alheia por alguém com quem não se identificam, ao ponto de chamarem "estúpido" ao homem? Adiante.

O facto é que há coisas estúpidas. Alguém - um adulto em sociedade - que insista que 2+2=5 ou de facto -- coitado -- não tem capacidades cognitivas -- por inteiro--, ou até pode parecer ou comportar-se normalmente, mas alguma coisa na cabeça tem bicho. Alguns níveis acima deste exemplo de aritmética, por exemplo é estúpido argumentar que o salário mínimo não provoca desemprego. Ou que limitar as rendas de arrendamento não vai causar a prazo a destruição do parque imobiliário construído.

E é estúpido (esta é porreira) achar que trabalhar menos seja solução para uma crise económica. Claro que assim se alcança "pleno-emprego". Também podiam partir todos os computadores, carros, maquinaria -- aliás tudo o que facilite o trabalho. Porque o que se faz ao _ilegalizar_ trabalhar mais... é mesmo "partir" ferramentas chamadas "tempo" e "trabalho humano". Mas há quem não se envergonhe de levantar bem alto estas bandeiras socialistas.

Desemprego: solução é cortar semana de trabalho para 30 horas

Sem comentários:

Enviar um comentário