quarta-feira, março 06, 2013

Portugal socialista

Portugal socialista (2) por Miguel Noronha:
Na sondagem hoje apresentada, sobre eventuais cortes na despesa pública, os “sondados” parecem rejeitar os cortes naqueles que são os pricipais agregados da depesa corrente. É revelador da mitologia criada (e alimentada) em torno da despesa do estado. Por mais escandalosas que sejam as PPP’s, e que se deva fazer algo para reduzir as rendas concedidas, o seu encargo anual é relativamente reduzido face às despesas ditas “sociais” e com pessoal do estado. Nuca é demais recordar que estas representam cerca de 3/4 da despesa corrente.

É pena que não tenham também perguntado se os entrevistados aceitavam aumentos (ou ao menos a manutenção) da carga fiscal de forma a evitar reduções que rejeitam. Mas suspeito que iriamos confirmar o diagnósitico do Prof João César das Neves.

Sem comentários:

Enviar um comentário