segunda-feira, abril 08, 2013

os sensíveis

A corporação dos sensíveis por Helena Matos:
.. os sensíveis não têm memória. Só indignações. Sempre que, até num passado relativamente recente, se questionava a sustentabilidade da Segurança Social, as pessoas sensíveis sensibilizavam-se muito e achavam um horror que (diziam) se questionasse o direito à reforma. Como ninguém queria ficar nesse odioso papel - ser objecto da indignação de um sensível condena qualquer um ao opróbrio! - o assunto foi sendo iludido até se tornar uma tragédia anunciada. Perante o avizinhar da catástrofe os sensíveis num ápice passaram a lastimar a ausência de estadistas e de líderes com coragem para atempadamente terem evitado esta dramática situação que, claro, muito os preocupa a eles e à sua sensibilidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário