quinta-feira, maio 16, 2013

os socialistas acham que o meu dinheiro é deles

Jorge Miranda acha que o meu dinheiro é dele por Henrique Raposo:
O constitucionalíssimo Jorge Miranda, um dos grandes reaccionários do actual momento da pátria, resolveu considerar a pensão de reforma como algo equivalente à propriedade privada. É um pouco triste ..
Tal como existe em Portugal, a segurança social é um sistema estatal que obriga os cidadãos a fazer x descontos. Repito: é estatal e obrigatório. Além disso, os descontos do cidadão Jorge Miranda não ficam anexados a uma conta pessoal e intransmissível. Era bom que assim fosse, mas não é assim que o sistema funciona (aliás, aposto que Jorge Miranda consideraria inconstitucional ..). Nesta realidade colectiva e a milhas da noção de propriedade privada, os descontos do contribuinte Jorge Miranda são atirados para um saco comum que alimenta quem já está reformado. Quando chegar à idade da reforma, .. dependerá da propriedade privada de outrem. Sim, é isso mesmo: em Portugal, a pensão de reforma não é propriedade privada do reformado, porque depende da propriedade privada de quem está a descontar ..

E este é precisamente o centro da falácia de Jorge Miranda: o Sôr Doutor Constitucionalíssimo está a pedir um efeito capitalista para uma causa socialista, está a pedir uma protecção individual para algo que foi sempre colectivo, está a ver um PPR privado onde só existe um saco colectivo. Ora, um PPR é mesmo propriedade privada, porque o seu proprietário colocou dinheiro numa conta pessoal abrangida pelo direito de propriedade. Aquele dinheiro existe mesmo, não é um cálculo virtual. Ao invés, as pensões dos sistemas colectivos são meros cálculos virtuais que não resistem à frieza dos números do PIB e da demografia ..

1 comentário: