sexta-feira, outubro 18, 2013

Economistas ou Deuses?

Transcrição integral de Economistas ou Deuses? por André Abrantes do Amaral:
As a profession we have made a mess of things.
Friedrich Hayek, 1974

Na década de 60 os economistas julgavam-se mágicos. Planeavam e, ajudados pela pouca dívida pública existente, conseguiam o que desejavam. Durante anos funcionou. Subia-se a despesa; desciam-se os impostos; mexia-se nas taxas de juros, reduzindo ou aumentando o dinheiro em circulação. Em última instância, desvalorizava-se a moeda. Para se ser economista era preciso conhecer estes instrumentos. Dominando-os, comportavam-se como magos.

A magia falhou e por isso os economistas são mal vistos. Já não conseguem fazer crescer a economia usando os mecanismos desses tempos. Durante muitos anos Hayek defendeu, em contraposição a Keynes, que os economistas não sabiam tudo. A economia era a soma de decisões de milhões de seres humanos. Querer direccioná-las seria um atentado à liberdade delas e um ultraje à sua inteligência e direito de escolha. Um caminho para a servidão. Embasbacados com o sucesso alcançado, ninguém ligou a Hayek.

Os economistas falharam porque pensaram que podiam ser deuses. E com eles os políticos. Antes disso, um economista estudava o porquê das decisões das pessoas. Porque compravam, porque investiam. Quando poupavam. Depois passaram a forçar as decisões que queriam. Manipularam. Os economistas falharam porque a manipulação acabou. Todos os dias as projecções saem furados porque as pessoas decidem de forma diferente da pretendida. Porque não somos máquinas, mas indivíduos.

Sem comentários:

Enviar um comentário