quarta-feira, setembro 17, 2014

Estado Orwelliano fiscal

O Extraordinário Cobrador:
Nunca no Portugal contemporâneo, incluindo os tempos do Estado novo e da sua polícia política, o estado teve acesso a tanta informação sobre a vida diária e as interacções da generalidade dos indivíduos. Nunca as pôde consultar e cruzar com tanta facilidade. Nunca a omnipresença do estado na vida diária das pessoas foi tão destacada, intrusiva e em tão grande escala. A máquina fiscal torna-se na força de ocupação consumada da vida diária das pessoas.

Sem comentários:

Enviar um comentário