terça-feira, dezembro 23, 2014

Rant Liberal do Dia

Ainda há dias estava a passar os olhos pelas minhas prateleiras, fantasiando que um dia levarei para o 'exílio' tanto os livros que ainda não li, assim como os que são referência. Ali algures estava o livro do Compromisso Portugal -- que não cai em nenhuma daquelas categorias. Ainda em lembro da minha estupefacção (isto de ser-se crédulo dá azo a incredulidades) quando depois de vários diagnósticos acertados, os redactores lançam-se numa defesa apaixonada do "Estado Forte".

Entenda-se, um "Estado" mais "forte" que o existente. O qual pintam como anafado onde não interessava, mas fraco em áreas fundamentais em que -- por artes mágicas -- a política, a burocracia, a fossa moral do estatismo, e o cancro organizacional que dá pelo nome de socialismo... passaria a funcionar. Como Medina Carreira criticava ontem, basta a "mudança de mentalidades" salvítica que já vem da Fundação. A lógica é que em funções fundamentais da Economia/Sociedade devemos querer o sistema de gestão "mais péssimo" inventado pelo Homem, e com a força do pensamento mágico esse sistema funcionará.

São os liberais que temos - ou os que merecemos. If they had their way, teríamos um "Estado (mais) Forte", regulador, garante da paz social, e de outros pregões socialistas, capaz de "intervir" providencial, preventiva e correctivamente sobre os problemas mais complexos do país, um gestor exemplar do gado cidadão, e claro sempre perfeitamente respeitador das liberdades individuais. Aliás todo este programa muito eficiente nada tem que ver com estatismo.

Sem comentários:

Enviar um comentário