terça-feira, abril 07, 2015

Mensagem aos Liberais

Mensagem (Natalícia) aos Liberais:
Por isto, e por muito mais, sugiro aqui que sigamos o caminho dos EUA: assuma-mo-nos como libertários – ao invés de liberais (“Clássicos” ou não). Se nos fecham a porta, entramos pela janela. Chega de confundir a opinião pública.
Um libertário é coerente ao ponto de querer mais liberdade em ambas as áreas da nossa vida em sociedade: tanto civil, como economicamente! A título de exemplo, consideramos que é tão justo que aos indivíduos seja permitido o consumo de qualquer tipo de produtos que estes bem queiram (acabando assim com as actuais políticas antidroga que matam mais do que o próprio produto…), da mesma forma que achamos urgente acabar com o saque tributário sofrido em Portugal.

Isto só é possível com menos Estado. Menos Estado consegue-se com menos gastos públicos. E querer menos gastos públicos, é o mesmo que querer que o Estado deixe de tirar aos indivíduos aquilo que bem quer e lhe apetece, indo contra a vontade destes. Que deixe de lhes tirar o dinheiro que esses mesmos indivíduos obtêm com o suor do seu trabalho, quando é o Estado a gastá-lo em áreas que o indivíduo não quer, ou não precisa, ou que simplesmente até podiam ser providenciadas pelos seus semelhantes (o famoso e tão injustamente criticado “Mercado”).

Ora, esse saque é isso mesmo: um saque. Algo que se dá contra a vontade (individual) de quem o sofre. Algo que acaba sempre por prejudicar, directa ou indirectamente, quem mais sofre. Algo que é assegurado pela força. Pela força coerciva do Estado e dos estatistas que o apoiam. Que apoiam o avanço que esse mesmo Estado tem vindo a tomar, desenfreadamente, ao longo das últimas décadas.

Sem comentários:

Enviar um comentário