quinta-feira, novembro 03, 2016

O que realmente é o neoliberalismo

Você sabe o que realmente significa ‘neoliberalismo’?:
Mas a verdade é que a ideologia neoliberal de fato existe — embora ninguém se identifique como tal — e .. nada tem a ver com o genuíno liberalismo. Há uma clara — e intransponível — distinção entre o liberalismo clássico da Escola Austríaca e o neoliberalismo.

Poucos sabem, mas o neoliberalismo surgiu como uma terceira via entre o socialismo e o liberalismo. Como explicou Jorg Guido Hülsmann:
.. as primeiras declarações programáticas do neoliberalismo foram publicadas somente na década de 1930 — novamente, e previsivelmente, na Alemanha e nos Estados Unidos. O manifesto mais influente veio do economista de Chicago Henry Simons, que, em 1934, fez circular uma monografia intitulada A Positive Program for Laissez Faire .. — no qual a palavra "positivo" indicava que esse programa justificava amplas intervenções governamentais ..

Simons exortava o governo a regular a oferta monetária e o sistema bancário, a impedir a formação de monopólios, e a fornecer uma renda mínima para os destituídos — um desvio e tanto do liberalismo laissez-faire.

O neoliberalismo, portanto, surgiu entre ex-socialistas que haviam percebido que o socialismo não funcionava, mas que também não queriam abraçar inteiramente o liberalismo clássico.

O neoliberalismo possui uma agenda abertamente intervencionista, ainda que menos intervencionista que o próprio socialismo. Historicamente, neoliberais defendem monopólio estatal da moeda por um Banco Central, agências reguladoras para controlar determinados setores da economia, programas de redistribuição de renda, leis e regulações anti-truste, concessões em vez de genuínas privatizações e desestatizações, ajustes fiscais por meio de aumentos de impostos, além, é claro, de monopólio estatal da justiça, e saúde e educação fornecidas pelo estado.

O próprio Ludwig von Mises batalhou contra um grupo de economistas .. que, na década de 1940, poderiam ser rotulados de 'neoliberais'. Para Mises, esses neoliberais eram apenas relativamente liberais — comparados aos doutrinários socialistas —, mas ainda eram intervencionistas que defendiam o monopólio estatal da moeda por um Banco Central, programas assistencialistas, e todo aquele supracitado aparato regulatório e burocrático comandado pelo estado.

2 comentários:

  1. Acho que isso é mais sobre a história do nome "neoliberalismo" do que propriamente sobre o conteúdo daquilo a que hoje em dia se chama "neoliberalismo" (ou pelo menos a maior parte das pessoas que usa a palavra).

    Já agora:

    "O neoliberalismo, portanto, surgiu entre ex-socialistas que haviam percebido que o socialismo não funcionava, mas que também não queriam abraçar inteiramente o liberalismo clássico." Não vou apostar a minha vida nisso, mas tinha a ideia que o percurso de muitos (ou talvez da maioria) foi o contrário - pessoas formadas num ambiente liberal clássico, e que provavelmente sempre se autodefiniram como "liberais", mas que em função da Grande Depressão, do comunismo e do fascismo, acharam que o liberalismo precisava de ser reestruturado.

    ResponderEliminar