quarta-feira, abril 13, 2016

Order Without Justice


Edward Snowden - Order Without Justice

Stop cheering for evil

Larken Rose:
It never ceases to amaze me how people who personally advocate that I be forcibly subjugated and extorted to serve their agenda and priorities can then be shocked and offended when I criticize them for condoning violence against me. No, we can't "agree to disagree," and no, we can't get along "civilly," because YOU want armed agents of your "government" god to commit aggression against me. If you don't like me pointing out the immorality and hypocrisy of your authoritarian bullshit, that's your problem. Stop cheering for evil, and I will stop criticizing you for it.

Que invierta su puta madre


QUE INVIERTA SU PUTA MADRE . . .

open borders

Open Borders Isn’t Libertarian, It’s Global Communism:
Societies are made up of the people who reside within them. If you replace the people of one society with the people of another society, then the society will come to resemble that of the place the new people just fled. Democratically elected governments, though they may seem largely unresponsive to what you want individually, do respond to that which can get them elected. If the people now electing your government, are the same people who elected the government of Mexico, or Venezuela, or some other terrible place, then in rather short order, your government will resemble that government. This almost seems too obvious to have to state.

Libertarian


Penn Jillette Shares Why He's a Libertarian

"Se todos pagassem os seus impostos"

"Se todos pagassem os seus impostos" ou "A história da Carochinha":
Se todos pagassem os seus impostos há uma certeza que tenho: no ano seguinte havia défice outra vez.

terça-feira, abril 12, 2016

Nation, State, and Borders


Dr. Guido Hülsmann: Nation, State, and Borders

As engrenagens do parasitismo

As engrenagens do parasitismo:
Resumidamente, o Estado faz depender de si praticamente metade da população, sendo que, da outra metade, assegura que a maior parte não paga impostos para que não levante um motim, chegando até a dar-lhe algumas regalias, indo buscar todo o produto de que necessita à cada vez mais ténue minoria de empreendedores e trabalhadores verdadeiramente produtivos e atarefados que compõem a classe média e alta do setor privado. Mesmo assim, não vá o diabo tecê-las, inventa o conceito de retenção na fonte, escondendo da vista dos trabalhadores o assalto, fazendo depender de uma minoria ainda mais pequena, a dos patrões, o processamento de toda a papelada e trabalho burocrático que levaria qualquer cidadão comum a revoltar-se contra a canalha assaltante (de notar que as entidades reguladoras se asseguram que, ao mínimo deslize, a empresa que lute contra este inferno será atirada para um espancamento fiscal e judicial, para não mencionar reputacional, que mais nenhum empreendedor tentará a gracinha de lutar contra o processo).

Para este fim, é importantíssimo criar a ideia de que não pagar impostos não é simplesmente evitar um assalto: há que instalar na mente de todos os cidadãos que não prestar tributo ao Estado é considerar que os interesses individuais estão acima dos coletivos, é ser egoísta. Todos temos de pagar a nossa ‘justa parte’. Para os engraçadinhos que mesmo assim não se convencerem, cria o Estado um sem fim de mecanismos de deduções fiscais, que são basicamente prémios por entregar a produção privada ao gang, e que podem ser usados para gerir os incentivos (como dizem os economistas modernos), de forma a que, mais uma vez, se coloquem os cidadãos a policiar os seus próprios vizinhos. É prova disto a dedução por gastos com manutenção de veículos, gastos com cabeleireiros, os sorteios de veículos ou mesmo esse grande prémio que são os certificados de dívida do Estado! Os economistas, professores e demais intelectuais ao serviço do Estado conseguiram a grande proeza de fazer o povo acreditar que toda a sua produção é devida ao gang, e que cabe ao gang gerir e orientar as melhores formas de gerar a riqueza.

Private Police


Anarchast Ep.283 Dale Brown: Threat Management & Private Security Negating the Need for Govt. Police

BÓNUS:

aviso à navegação

aviso à navegação por by rui a.:
O estatismo projectou a ideia, que vingou em sociedades mais frágeis, como a portuguesa, de que os governantes são uma espécie de seres superiores ao comum dos mortais, de elevada inteligência, com capacidades para além do normal, que zelam, abnegadamente, pela nossa felicidade. Erro fatal: não apenas são homens exactamente iguais aos outros nas suas limitações e incapacidades, como muitos deles têm um elevado quociente de estupidez congénita, que o vício e a dependência da política agravaram e obstruíram o mais elementar sentido crítico. E esta gente toma decisões que a todos nos podem afectar. É bom estarmos conscientes disso.

Regressive Left


5 Signs You’re A Regressive Liberal

Mudança

4 desculpas para impedir a mudança por Adolfo Mesquita Nunes